post

Greve!

Greve

A minha participação na Tugatrónica sofreu uma grande volta: greve!.

É impossível que num blog, constituído por cerca de 8 elementos, não haja ninguém que se lembre (ou se digne) de escrever alguma coisa num único dia!

Quando iniciei o blog, a convite do cenourinha, a ideia era excelente. Passados ano e meio e depois do sucesso de 2007 que a Tugatrónica teve (muito graças a mim) ainda a acho excelente. O problema? Um blog dedicado a gadgets merece estar constantemente actualizado (a tecnologia não pára meus amigos). De que adianta ter um post a falar sobre o lançamento do iPhone se esta notícia já foi anunciada à muito? Esta pergunta retórica permite-me ter uma resposta simples: o blog deixou de estar actualizado. Não vamos comparar a Tugatrónica a um blog pessoal, que não o é. Num blog pessoal, o autor escreve quando lhe apetece e como lhe apetece. Num blog temático, o problema já é outro.

Já propus a célebre ideia aos restantes elementos de “escolher um dia da semana onde este tenha tempo para escrever pelo menos um artigo nessa semana”. Não vejo problemas nenhuns em dedicar dessas 168 horas pelo menos 30 minutos a escrever um artigo! Todos os dias em que na Tugatrónica não houve artigos deve-se essencialmente às seguintes razões:

– O autor principal não teve tempo de escrever;

– O autor principal esteve sem net nesse dia;

– O autor principal não teve paciência para escrever;

– O site esteve offline por problemas com o servidor;

E agora pergunto. Para que existem estes elementos? Problemas de tempo? Por amor de Deus, uns dizem isso e minutos depois apanho-os a jogar Counter-Strike ou a conversar no IRC como senão tivessem mais nada que fazer.

Quando iniciei a actividade de blogger na Tugatrónica estava sozinho. Estava entusiasmado. Pouco depois aquele entusiasmo passou a ser “uma seca”. Mais tarde, “trabalho”. Até que já estava na minha rotina e lá fui postando e postando e postando. Com o passar do tempo, foi surgindo a necessidade de arranjar um suporte alternativo caso a minha pessoa não pudesse postar. Foi o que se fez gradualmente. Lancei o convite para aqueles que se mostraram disponiveis ou interessados em participar. A equipa foi crescendo mas, eu era o único a postar. Não vou citar os ditos elementos (que eles por consciência própria sabem que são) mas vamos ver aqui umas pequenas estatísticas da Tugatrónica:

728 artigos escritos. Desses artigos, 633 são da minha autoria, o que representa cerca de 86,7% de artigos da Tugatrónica. Um deles tem 43 artigos (muitos porque lhe pedi muitas vezes pelo msn), outro tem 22 posts e mais um que tem 12 posts para além do outro com 10 artigos, o que dá 720 posts.

Estou a retirar os textos dos 3 recentes elementos que responderam afirmativamente ao meu post do recrutamento, sobre o qual ainda têm que provar a minha aposta neles e que “cedendo” aos seus pedidos eu me propus. Espero que não faltem à palavra.

Resumindo, a culpa é minha. Apostei nos cavalos errados e agora tenho que sofrer com isso. O agfrg bem que tinha razão. Deixou de escrever até que surgiu um freelancer (com artigos bastantes porreiros).

E mais não digo!

post

snd-hda-intel: problema resolvido no alsa

AlsaReferi, aquando da instalação do OpenSuse, que o único problema que tivera foi o facto de eu não ter som no portátil. O OpenSuse detectou bem qual era a minha placa de som (snd-hda-intel) mas simplesmente não se ouvia nada. Apenas conseguia ouvir pelos meus phones (mas aí a placa de som era da RealTek e funcionava perfeitamente).

Dadas as minhas limitações ainda em linux, não sabia como resolver o problema. Resolvi consultar o google (lição número 1: procura sempre no google antes de ir pedir ajuda a alguém – é um facto!). Encontrei uma página de ajuda na wiki do OpenSuse, Audio Troubleshooting, no qual fiquei encalhado no passo 5 (não conseguia identificar o codec que tinha sido instalado com o alsa). Aí não tive hipóteses mesmo e resolvi então ir pedir assistência ao canal IRC do OpenSuse, o #suse.

Daí, encontrei duas pessoas, nicks: oldcpu e Loki2010, que me ajudaram a resolver o problema. Através de um pequeno script que corri, aquando da leitura do guia que já referi anteriormente:

The first script is the one created by user wishie from IRC #alsa. To download (copy and paste this into a konsole/xterm) and run:

wget http://bulletproof.servebeer.com/alsa/scripts/alsa-info.sh

then run the script alsa-info.sh (copy and paste this into a konsole/xterm):

bash alsa-info.sh

consegui lhes mostrar configuração do alsa (http://pastebin.ca/919536). A resposta deles foi directa: “Nem alsa, nem alsa-conf, nem mesmo o yast conseguiram automaticamente identificar a especificação correcta do meu portátil, em relação ao som. Por isso, não aplicaram essa opção.”

Para confirmar isso disseram-me para executar o seguinte comando:

cat /etc/modprobe.d/sound

* O comando “cat” possibilita a leitura de qualquer ficheiro que contenha texto, entre outras utilidades como por exemplo, concatenar ficheiros. (Faço isto assim que aprendo também :-D)

Eis o output do Xterm que me deu:

alias snd-card-0 snd-hda-intel
alias sound-slot-0 snd-hda-intel

Estavam confirmadas as suspeitas deles. Olharam mais uma vez para a minha configuração do Alsa para determinar qual era a marca do meu portátil (podiam ter perguntado que eu tinha respondido…). A marca é LG. Vem daí disseram que tinha que editar o ficheiro “sound” e colocar antes destas linhas, a seguinte linha:

options snd-hda-intel enable=1 index=0 model=lg

Foi o que fiz, escrevi gnomesu gedit /etc/modprobe.d/sound. Abriu o editor de texto (com permissão de root) e adicionei a linha acima. Salvei e fechei o ficheiro. Pediram-me para confirmar se estava mesmo lá a linha. Voltei a correr o comando “cat”, eis o output:

options snd-hda-intel enable=1 index=0 model=lg
alias snd-card-0 snd-hda-intel
alias sound-slot-0 snd-hda-intel

Lá estava ele. Depois disseram-me para reiniciar o Alsa:

rcalsa sound restart (ouvi uma espécie de beep)

E depois para testar se estava a funcionar, entrei como root e executei:

speaker-test -c2 -Ddefault -twav

E não é que funcionava mesmo? DIsseram-me também que tenho no OpenSuse um ficheiro Alsa-Configuration.txt, no qual me ajudava a resolver o problema (logicamente se fosse mais especialista em linux era mais que provável ter resolvido o problema sozinho). Ainda assim, foi porreiro resolver isto. A assistência no canal foi 5 estrelas. 😀

Damn you Windows

Besta do XP. 2 horas para tentar pô-lo de novo a funcionar sem problemas com vários restauros do sistema e vários reinicializações. Já estava a pensar que iria perder um dia inteiro a instalar tudo de novo.

Lá corri o chkdsk r/ para ver se resolvia o problema.

Resultado: funcionou.

Ainda assim, passo mais tempo no OpenSuse do que no XP agora….

post

Primeiras impressões do OpenSuse

E pronto. Em noite de Óscars, lá acabei de instalar o OpenSuse. As minhas primeiras impressões são bastantes positivas:

Instalação: A instalação levou cerca de 1 hora e poucos. Durante esse tempo fui sendo guiado passo a passo para proceder à correcta instalação. Perdi um bocado de tempo a configurar as minhas partições, pois não queria fazer asneira e perder as partições do Windows que tenho. Fiz backup mas voltar a instalar aquilo tudo ui (tempão danado), mas correu tudo bem. Detectou a minha placa Wireless e de rede muito bem. O problema mesmo foi a placa de som que (tal como acontecia aquando da instalação do Ubuntu), só dá música quando estou com os fones. As minhas colunas internas esquece. Se bem que ainda não dei uma grande vista de olhos ainda. De resto tudo bem. Neste ponto, posso considerar-me muito satisfeito. 😀

OpenSuseDesktop

Desktop: Adoro o verde (mesmo que o Sporting tenha perdido hoje mas isso já devíamos estar habituados). Escolhi como podem ver pela imagem o GNOME, já que o KDE, mesmo que tenha mais opções não me convence. O menu é bastante porreiro. Gosto como está organizado, tem o botão de procurar, mostra-nos as aplicações favoritas (Firefox, Banshee, Open-Office Writer, Nautilus, F-Spot e Evolution) e as aplicações recentes. Para além disso conta com 3 tabs: Aplicações, Documentos e Places, sendo que a das Aplicações está como default. Ao lado um menu com as propriedades de sistemas e uma coisa que achei bastante porreia: o Status (espaço de disco ocupado e estado da minha ligação Wi-Fi).

Usabilidade: Até agora 5 estrelas.

Vamos lá ver isto se mantém. Até agora estou impressionado. :mrgreen:

Actualização 11/03/08 – Em resposta ao comentário do Hugu coloquei uma nova imagem do meu ambiente de trabalho. Desta vez no KDE:

Screenshot KDE

post

Tugatrónica V2.0: 2º dia de trabalho concluído

Hoje acabo mais cedo o trabalho, a nível visual, o pessoal não vê grandes alterações mas já traduzi a theme toda para o português PT (sim porque aqui não há brasileiradas) e tive ocupado a tarde toda a tentar ajeitar a barra webtuga. Parece simples, mas para quem não conhece CSS muito bem leva-se tempo a implementar as coisas simples. Mas acima de tudo, o dia de hoje foi termos de validações: CSS  e XHTML validated.  🙂

A razão de acabar mais cedo é simples: fiz download do LiveCD do OpenSuse e agora vou experimentar aquilo. Com um conhecimento básico de Ubuntu e uma experiência de 3 dias com o Mandriva vamos lá ver como corre desta vez.

Amanhã é dia de trabalho, logo só à noite é que vou proceder a alterações.

OpenSuse

post

La Fonera

La FoneraPara quem não sabe o “La Fonera” é um router e um AP ao mesmo tempo, da comunidade FON que possuem uma característica muito positiva: o preço! Pertence a um movimento que pretende criar uma rede de acessos de internet wireless (hotspots) em todo o mundo gratuitamente suportado pelos Foneros (elementos da comunidade Fon). No meu caso mandei vir dois Foneras e paguei 15€, já com as taxas incluídas.
A rede funciona da seguinte forma, obtém-se um router La Fonera na loja oficial da Fon, liga-se a outro router (ou se quiserem, ligar directamente ao modem fornecido pelo vosso ISP) que tenhas em casa e depois esse router vai criar dois pontos de acesso, um privado e outro público, este último que poderá ser acedido por outros Foneros.

Quem tiver também este serviço e partilhe a sua net como eu tem o direito de se ligar ao meu hotspot gratuitamente(Plano “linus”). Da mesma forma que eu me poderei ligar gratuitamente ao dessa pessoa. Quem não partilhe net pode na mesma aceder aos nossos hotspots no entanto tem apenas direito a 15min de net gratuita. Se quiser mais tem de pagar(plano “Bill”). Só por utilizarem o teu spot pelos 15min grátis a FON dá-te 0,05€ se essa pessoa pagar para continuar a usar, tens direito a 50% do valor que ela paga.

O sistema de pagamento é apenas um incentivo para as pessoas deixarem o spot sempre ligado a partilhar. A verdadeira vantagem é o facto de te poderes ligar gratuitamente aos spots de outros foneros pelo mundo inteiro (e já não são assim tão poucos quanto isso).

Em Portugal esta rede ainda está muito pouco expandida, mas o movimento FON não tem parado de crescer, como já referi antes. Vamos aumentar a comunidade La Fonera em Portugal, queremos ter cobertura wireless em todo o Portugal! Adira à comunidade FON.

Leia o resto do artigo na Tugatrónica.