post

Uma palhaçada

Todos os anos tenho a tradição de ir arranjar uma GameBox e ir ver todos os jogos do Sporting em casa. Estou a iniciar o meu 6º ano consecutivo esta época. Sim, ainda sou daqueles que “acredita” que vai ver um bom jogo de futebol.

Depois da (in)esperada derrota frente ao Feyenoord e do empate amargo frente ao Guimarães, o SCP teve o seu primeiro jogo oficial da época frente ao Twente da Holanda, para a 3ª eliminatória da Liga dos Campeões. Resultado final: 0-0

Imagem retirada do site Record

Imagem retirada do site Record

Foi uma autêntica palhaçada aquilo que vi no estádio hoje. João Moutinho, em conferência de imprensa depois dos jogos contra o Feyenoord e o Guimarães disse: “Já não temos margem para erro”. Curioso um jogador dizer isto logo no início da época. Curioso também o facto de ter falhado um penalty neste jogo. Será que foi uma partida cruel do destino? Ou será que foi propositadamente? – Da maneira como ele vai sempre marcar uma grande penalidade parece que sim.

Paulo Bento disse na antevisão à partida de hoje: temos apenas um mês de trabalho, não esperem por um domínio avassalador. Curiosamente, foi uma partida em que o SCP teve o domínio completo do jogo já que a equipa holandesa (não tem atributos técnicos mas é forte fisicamente e são muitos rápidos) ficou reduzida a 10 unidades a partir dos 24′.

Existem dois factores a considerar:

  1. O Benfica e o Porto começaram mais tarde os seus trabalhos para a nova época e mesmo assim, fazem grandes jogos como se a vida deles tivesse a depender disso. O Sporting vai já com um mês de trabalho e nem atinge 1/4 daquilo que os outros 2 grandes estão a jogar.
  2. Uma das grandes vantagens do SCP era o de ter uma equipa que joga já há muito tempo com o mesmo treinador. Assim, mesmo sem poder comprar jogadores como os concorrentes, teria esta vantagem teórica, que é a da permanência dos actores e da peça. No entanto, não se nota este factor. Parece que esqueceram tudo nas férias e até mesmo da experiência adquirida por três anos seguidos na LC.

É a cassete do costume, passada e repisada há quatro anos. PB disse que “faltou clarividência” após o final do jogo. Pois faltou. Quando não se treina é assim. Não há mecanismos, não há rotinas, não há jogadas estudadas. Não há aproveitamento do espaço em largura e em profundidade. Assim, Sr. Paulo Bento, é muito difícil. Eu tinha vergonha de empatar ou perder a jogar contra 10. Para mim é de uma incompetência gritante. Eu no seu lugar punha o lugar à disposição. Para alguém que está à 4 anos à frente de uma equipa, é muito mau, mas mesmo muito mau, o futebol apresentado.

Classificações dos jogadores do SCP (créditos a Greenheart – concordo plenamente com as notas)

  • Patrício – Dono e senhor da baliza verde branca. Teve 2 intervenções de recurso a salvar o nulo na nossa baliza. Por aqui estamos bem servidos. Nota 4;
  • Pedro Silva – Sem comentários…. Nota muito negativa. Tudo lhe saiu mal. Nota 0;
  • Caneira – Parece que se esqueceu como se joga nesta posição. Fraquissimo. Para sair do onze já. Mal a defender e pessimo a atacar. Nota 0;
  • Polga – Muito trabalho. Demorou a entrar em jogo e assustou quando aos 30” perdeu um lance para um adversário ficando este na cara do golo. Recuperou bem, mas ainda não chega ao nível positivo, o seu tempo de antecipação está a milhas de estar bem. Nota 2;
  • Carriço – O elemento mais consistente da defesa. Não teve medo dos gigantes holandeses. E foi o mais regular. Nota 4;
  • Veloso – O melhor do Sporting. Bem na função de trinco onde apenas lhe faltou mais velocidade. Melhor na posição de defesa esquerdo, onde esteve fantástico a atacar. Nota 5;
  • Moutinho – Falta entendimento com o seu parceiro chileno. Não conseguiu fazer tudo o que nos habituou. Ainda por cima falhou um penalty. Nota 2;
  • Vukcevic – Longe do seu melhor. Pareceu desligado da equipa. Não se mostrou suficientemente eficaz. Perdeu quase todos os lances de ataque. Nota 2;
  • Matias – que é bom de bola, não tenho duvidas, que irá fazer a diferença também não. Tem um lance brilhante aos 88′ que culminou com uma bola no ferro. acredito que de que falar. Nota 3;
  • Liedson – Muito marcado. Não conseguiu ter uma unica chance de golo. Nota 2;
  • Postiga – Ganhou um penalty e nada mais. Nota 1.

Jogaram ainda:

  • Pereirinha – No lugar de Caneira aos 56′. Veio trazer vida ao flanco direito mas não chegou. Nota 2;
  • Yannick – No lugar de Vuk aos 67′. Combinou muito bem no flanco esquerdo com o seu compadre Veloso. Esqueceu-se de ser mais incisivo nas idas para a baliza. Nota 2;
  • Rochemback – No lugar de Pedro Silva aos 76′. Entrou tarde. Oredenou melhor a equipa e tentou que esta não perdesse a cabeça. Continua é muito pesado e sem velocidade. Nota 2.

CodePlay – The Computer Scientist

Existem pessoas para tudo. Alguém resolveu criar uma música sobre a Programação Orientada a Objectos.

Get the Flash Player to see this content.

Letra:

Classes and objects, instantiation.
What is all this OO about?
Properties, methods, object creation.
How can you figure it out?
For gone are procedures,
We say “I don’t need ya”
Save them for your Pascal and C.
It’s all about objects,
It’s what the the world’s made of
So try your hand at Java or PHP.

Nobody said it was easy
To programme in a whole new way of thinking.
Nobody said it was easy
You will have to rethink the way you code –
And take it back to the start.

To save repetition, avoid duplication
You must try to increase cohesion.
Reduce your coupling –
You’ve got to avoid it
Unless you’ve got a good reason.
When things are connected –
Relate to each other
Programme so you’ll give yourself credit.
So be realistic, yet polymorphistic,
Making sure your classes inherit.

Nobody said it was easy
To programme in a whole new way of thinking.
Nobody said it was easy
You will have to rethink the way you code –
And take it back to the start.

Visto no Fórum Webtuga. (Logo faço update ao link já que o fórum está encerrado até amanhá à noite)

post

Como arrancar o Firefox mais rapidamente

Nos últimos meses passei a ser mais utilizador do Google Chrome do que o must-have Mozilla Firefox. Embora esteja ao corrente dos problemas deste browser, considero-o ainda assim mais rápido e eficiente (e mais leve de RAM) que os restantes browsers mais utilizados.

O mês passado instalei o novo Firefox, e apesar do grande anúncio da Mozilla a dizer que o Firefox 3.5 era o mais rápido de todos os browsers, qual o meu espanto quando só por abrir, perdia cerca de 10 a 15 segundos da minha vida à espera que abrisse. Ainda para mais, ainda noto o excessivo consumo de memória (neste momento estou com 4 abas abertas e está já a consumir-me 140 MB). Com o Google Chrome, e com os mesmos sites abertos e ainda mais tabs, ainda nem cheguei a metade.

Estava para desistir do Firefox quando após um tweet meu sobre o assunto, o @trmanco indicou-me um link para resolver o problema do longo tempo de espera para abrir este browser. A partir do Firefox 3, tanto os favoritos como o histórico e mais algumas coisas, passaram a ser guardados em bases de dados SQLite. Como qualquer outra base de dados, com o tempo têm tendência a ficar fragmentados ficando com espaços livres em tudo o que era sítio. O que isto causa? Problemas de performance no arranque do browser.

A melhor solução para isto é optimizar estas bases de dados. Isso poderá ser feito através do sqlite3, um script que é executado pela linha de comandos (disponível para Linux, Windows e Mac OS X).

Basta fazer download dos binários para a pasta Profiles do Mozilla.

Fecham o Firefox e pela linha de comandos acedem à dita pasta (exemplo em Windows):

cd C:/Documents and Settings/Application Data/Mozilla/Firefox/Profiles/randomname

Depois, basta executar o seguinte comando:

for %a in (*.sqlite) do (sqlite3 %a vacuum)

Abram o browser e vejam por vocês mesmos que o Firefox passou a estar ao nível do Chrome no que toca ao arranque 😀

post

Ninguém nasce ensinado

Uma situação caricata aconteceu-me hoje quando fui “encostado para um canto” por não ter as qualificações necessárias para fazer uma determinada tarefa, que há uma semana me tinham dito que ia fazer.

Mesmo tendo uma formação marcada para daqui a 2 semanas para poder estar apto a desempenhar a tarefa, e mesmo estando acompanhado por uma pessoa mais experiente no assunto, preferiram “livrar-se” do novato e deixar o especialista a tratar disso.

Noob

Por um lado senti-me aliviado, já que era uma coisa complicada para fazer mas por outro, senti-me um pouco decepcionado visto considerar essa experiência uma excelente oportunidade para provar as minhas capacidades e justificar a minha contratação pela empresa. Resta-me continuar a estudar para conseguir saber mais e esperar por uma outra oportunidade. Afinal, ninguém nasce ensinado e muitas vezes, o pessoal esquece isso.

First-Person Shooter Disease

Esta deve ser das poucas doenças que de vez em quando não importava nada de ter. Gene sofre de Duke Nukem Disease, uma doença que surge entre os game addicted. 😀

Get the Flash Player to see this content.

[via BoingBoing]

A new beginning

Este mês volto à aventura do mundo dos blogs. Foi um mês de Junho bastante complicado com várias situações que me obrigaram a chegar a casa já depois da meia-noite e mesmo uma da manhã. Ou seja, era chegar a casa e ir logo para a cama porque às 7 da manhã do dia seguinte já era preciso estar de pé para sair para o trabalho.

Agora que estou a trabalhar entendo perfeitamente os meus colegas de faculdade que estudavam e trabalhavam. Não há tempo para nada! Ainda por cima, estando eu a trabalhar faz agora 2 meses, ainda não encontrei o ponto de equilíbrio necessário para organizar a minha vida entre a vida pessoal, social e profissional.

Só espero é não ter que passar por uma fase complicada destas nos próximos meses (sonha Eurico, sonha). Como tal, desde meados de Junho que tenho andado a planear a melhor forma de garantir uma estabilidade/regularidade na minha vida.

Houve e há tantos assuntos que queria ter partilhado com vocês meus amigos mas fica para a próxima. Deixo já como nota, que este mês haverá algumas supresas bastante agradáveis, tanto para mim como para vocês.