post

Fui ao cinema: 2012

Tive o prazer de sair com pessoal amigo e ver o tão anunciado filme sobre o fim do mundo, o 2012 de Roland Emmerich, director de outros filmes de desastre mundial, O Dia Depois de Amanhã e O Dia da Independência. E, como é sempre nos filmes do género, ou o filme é fantástico ou o filme acaba por ser mesmo um desastre. Na minha opinião, e como gosto de ver filmes onde a anarquia é a palavra de ordem, penso que vale a pena pagar umas coroas (sim coroas, que isto está a ficar caro para ir ao cinema) para ver o filme.

Por outro lado, se é daquelas pessoas que gostam de procurar questões filosóficas em tudo que vê, que gosta de um enredo bem estruturado, que acha que um filme deve ser feito para educar e acrescentar algo à sua vida, fique em casa. Se não, recomendo muito. Até porque os efeitos visuais estão fantásticos, e para apreciá-lo totalmente, só mesmo no grande ecrã.

A história em si não tem nada de especial. É o cliché comum: Um cientista desconhecido faz uma descoberta incrível, o assunto chega até o presidente dos EUA – que reúne os outros chefes de estado para encontrar forma de salvar a humanidade – e um pai/ex-marido comum (John Cusack) tenta salvar a sua família a qualquer custo.

Obviamente que com tanto desastre natural, o pessoal não teria qualquer hipótese de se salvar. É por isso que é filme. Em relação às personagens umas pequenas notas:

  • O actor Woody Harrelson está fantástico no papel do locutor de rádio/maluco Charlie Frost e rouba totalmente a cena às outras personagens.
  • Pessoalmente não sou grande fã dele mas, John Cusack (Jackson Curtis) até que teve bem, embora não se tenha destacado muito. Apesar de ser o principal personagem, não é o cientista central da história mas sim o típico pai e ex-marido que salva a sua família.
  • Gostei bastante da personagem Adrian Helmsley, interpretado de forma fabulosa por Chiwetel Ejiofor. A sua maneira de agir e de pensar, bem como a cena tocante que teve ao dirigir-se aos outros presidentes contribuiu para uma boa representação.

Eu gostei e vocês?

3 thoughts on “Fui ao cinema: 2012

  1. Os primeiros vinte minutos dão me vontade de rir de repulsa. O filme está igual a tantos outros do género a história não presta para nada não tem base cientifica bem descrita, tirando os bonecos do Charlie. O que tem são uns euros a mais na parte de efeitos, de resto uma bela treta e para além disso ainda tem efeitos duplicados. Mal empregados 6€ que gastei.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *