post

Powered by Debian

Comecei uma nova aventura no Linux desta vez, pela distro Debian. Já vi as potencialidades que o Ubuntu pode trazer para os que pretendem começar no Linux. Agora é a vez de conhecer a “mãe” da distro e começar a mexer nele.

A instalação correu praticamente sem complicações tendo apenas apresentado problemas na instalação dos componentes de rede. O instalador não conseguia identificar a minha placa de rede nem a minha placa wireless e, após a execução do ambiente gráfico, o problema de sempre em qualquer distribuição Linux que utilize: sem som.

Com as dicas do Bruno Miguel e com a ajuda do excelente suporte dado pela Debian no Canal IRC consegui resolver estes problemas. Ainda tenho uns bugs por resolver aqui ou ali, mas já é de notar algumas diferenças em relação ao Ubuntu, as quais tentarei explicar num artigo próximo.

Mas para já deixo-vos uma amostra do ambiente de trabalho, já um pouco alterado (o wallpaper por padrão do Debian que instalei é feio).

Debian Desktop

post

Ambiente de trabalho em forma de uma esfera!

Quem diria que era possível ter um ambiente de trabalho na forma de cubo? Foi uma das razões que levou-me a experimentar linux quando soube que isto era possível. Agora nunca me passava pela cabeça ter um desktop esférico! Isso sim, é ainda mais genial do que o cubo.

Desktop esférico

Mal posso esperar para quando sair um update do compiz que inclua estas formas. Sim, porque vi que ainda mais coisas fantásticas vêm aí passando pelo restante blog. É claro que deverá necessitar de uma boa placa gráfica de forma a suportar a aceleração 3D, mas se no meu não tenho suporte e consigo o cubo porque não sonhar? 😀

post

Primeiras impressões do OpenSuse

E pronto. Em noite de Óscars, lá acabei de instalar o OpenSuse. As minhas primeiras impressões são bastantes positivas:

Instalação: A instalação levou cerca de 1 hora e poucos. Durante esse tempo fui sendo guiado passo a passo para proceder à correcta instalação. Perdi um bocado de tempo a configurar as minhas partições, pois não queria fazer asneira e perder as partições do Windows que tenho. Fiz backup mas voltar a instalar aquilo tudo ui (tempão danado), mas correu tudo bem. Detectou a minha placa Wireless e de rede muito bem. O problema mesmo foi a placa de som que (tal como acontecia aquando da instalação do Ubuntu), só dá música quando estou com os fones. As minhas colunas internas esquece. Se bem que ainda não dei uma grande vista de olhos ainda. De resto tudo bem. Neste ponto, posso considerar-me muito satisfeito. 😀

OpenSuseDesktop

Desktop: Adoro o verde (mesmo que o Sporting tenha perdido hoje mas isso já devíamos estar habituados). Escolhi como podem ver pela imagem o GNOME, já que o KDE, mesmo que tenha mais opções não me convence. O menu é bastante porreiro. Gosto como está organizado, tem o botão de procurar, mostra-nos as aplicações favoritas (Firefox, Banshee, Open-Office Writer, Nautilus, F-Spot e Evolution) e as aplicações recentes. Para além disso conta com 3 tabs: Aplicações, Documentos e Places, sendo que a das Aplicações está como default. Ao lado um menu com as propriedades de sistemas e uma coisa que achei bastante porreia: o Status (espaço de disco ocupado e estado da minha ligação Wi-Fi).

Usabilidade: Até agora 5 estrelas.

Vamos lá ver isto se mantém. Até agora estou impressionado. :mrgreen:

Actualização 11/03/08 – Em resposta ao comentário do Hugu coloquei uma nova imagem do meu ambiente de trabalho. Desta vez no KDE:

Screenshot KDE