post

Por onde tenho andado?

Ocupado com entrevistas! Bem me avisaram que era a partir de Fevereiro que iria começar a surgir propostas de trabalho. Pelo menos é o que tenho feito nos últimos tempos. Já fui a várias entrevistas, algumas delas fora da minha área de curso (pessoal, eu não sou um gajo de Informática! Não sou programador e não estou interessado em trabalhar nessa área). As competências de programação que adquiri na faculdade são mais na base de análise de sistemas e das suas funcionalidades do que o teor técnico em si. Afinal, sei que não tenho uma cabeça nata da programação e vejo esse mundo até com bastante medo até.

Eu por exemplo, tenho dificuldade para criar uma solução (algoritmo) para resolver um determinado problema no que toca a programação de computadores. Fico a pensar bastante para resolver problemas básicos a nivel de faculdade. Enquanto isso, outras pessoas da mesma área pensam menos e conseguem resolver os problemas e desenvolver os seus algoritmos muito mais rapidamente. Qual será a razão disto? Dom? Ou conhecer bem a linguagem com que estamos a programar? Provavelmente será mais a segunda opção. Quem tem o dom nasceu com ela e tomou-lhe o gosto não tendo medo de errar e tentar de novo. No que toca a segunda situação, é possível talvez ultrapassar alguém que tenha nascido com esse dom através do estudo da linguagem. Estudar chateia é verdade, mas não estaríamos aqui com esta tecnologia fantástica só por existirem pessoas que tinham o dom de melhorar as coisas.

Fases de programador

Uma das minhas citações favoritas é: “Tudo é possível. O impossível apenas leva mais tempo.” Ora eu acredito que com muito esforço e dedicação me tornarei numa das melhores pessoas da empresa, caso esteja a trabalhar para essa empresa. Ficar encostado sem fazer nada, só prova que estamos ali interessados no dinheiro e não pela experiência que esse trabalho poderá vir a dar.

Felizmente, encontro-me em vias de ser contratado por uma empresa que deseja apostar em mim e no qual procurarei não desiludir. Embora seja uma programação ligeira, comprei 2 livros sobre o trabalho que farei para poder aprofundar ainda mais os meus conhecimentos visto que apenas possuo os conhecimentos básicos de programação. Sou adepto do livro e não da maior enciclopédia virtual do planeta. E acredito, que mais tarde ou mais cedo, ultrapassarei essa pessoa dotada. 🙂