post

Noite de chuva de estrelas cadentes

Chuva de estrelas (meteoros)

Apesar de ser um grande fã de Astronomia sou um grande leigo nesta matéria, e hoje quando no carro a caminho do trabalho ouvi na rádio que hoje se pode ver uma das mais conhecidas chuvas de estrelas que ocorre anualmente: a chuva de estrelas das Perseidas, que atingirá o ponto alto esta noite e promete ser uma das melhores edições desde 2007.

As Perseidas acontecem todos os Verões e chamam-se assim porque as estrelas parecem cair da constelação de Perseu, como se estivesse um guarda-chuva aberto apontado naquela direcção e os traços de luz escorregassem pelos seus aros. Esta chuva é formada por meteoros rápidos, com velocidades de entrada na atmosfera de cerca de 59 km/s e é provocada pela intersecção da órbita da Terra com a órbita do cometa Swift-Tuttle, descoberto em 1862. As Perseidas são visíveis a partir de Julho, com um pico entre 8 e 14 de Agosto. A melhor janela de observação deste ano está prevista para hoje, entre as 22 horas e a meia-noite.

Para poder ver nem que seja só uma, não é preciso nenhum equipamento especial para observar as chuvas de estrelas. Apenas é necessário que as condições atmosféricas permitam ver o espectáculo. A previsão é de céu limpo com Lua Nova hoje o que significa que se evitar zonas com muita luz, poderão ver um grande espectáculo. Para quem ver isto pela primeira vez, não basta vir à rua, olhar para o céu durante cinco minutos e esperar ver de imediato alguma coisa. As palavras chave são: paciência e persistência. Se pretendem observar de casa, deve-se apagar todas as luzes possíveis e esperar cerca de 15 minutos para os olhos se ambientarem totalmente ao escuro.

Para quem está habituado a olhar para as estrelas, podem ver no mapa abaixo onde este evento será visível. Para quem não sabe e se tiverem um smartphone com Android podem instalar o Google Sky Map e procurarem pela a constelação de Perseu. 🙂

Mapa Astronomo - Constelação de Perseu

post

Star Trek: nível de geekyness no auge

Já faz 2 dias que fui ao cinema ver o filme de J.J. Abrams, Star Trek, o 11º filme dessa mítica série e o meu nível de geekyness ainda está alto! Antes de entrar para a sala pouco sabia do que ia ser a história, apenas que ia contar como é que James T. Kirk, Spock e Dr. McCoy e restantes personagens conheceram-se na Starfleet Academy e tornaram-se tripulantes da Enterprise.

Numa só palavra? WOW. Vi um filme fiel à mitologia da série, mas com uma acção intensa do início ao fim, o que pode agradar a várias pessoas, e não apenas os fãs. Embora algumas personagens me tenham surpreendido, casos da sensualidade descarada da Uhura, o coitadinho do Checov e a falta de mais alguma coisa no Spock, a nota é muito positiva!

Chris Pine está excelente no papel do rebelde James T. Kirk. O Zachary Quinto fez um Spock interessante, embora ache que devia ser um pouco mais Vulcano e menos humano (talvez por ser ainda um rookie na Academia). 

Como disse anteriormente, o filme emociona quem é fã da série, e pode agradar quem nunca viu um episódio ou filme anterior sequer, visto ter um enredo fácil de ser entendido, guião bem construído e acção frenética, daquelas que colam uma pessoa à cadeira e não deixa respirar. É claro, sem perder os elementos da ficção científica que fizeram a fama, as naves fantásticas, os extra-terrestres assustadores (que bicho assustador naquele planeta).

Nota: Se ainda não viu o filme, aconselho a não ler o próximo parágrafo visto conter spoilers.

A minha maior surpresa foi aparecer Leonard Nimoy, o Spock original da série. Está tão velho o homem, mas esteve à altura! Quando ele começa na parte final com as famosas palavras: “Space, the final frontier…”, tenho a certeza que todos os geeks quase desmaiaram. Destaco também a música do fim, em memória à música original da série Star Trek. Fabuloso!

Aqui têm o trailer do filme. Aproveitem a boleia que ainda vão a tempo da sessão da meia-noite :>

Get the Flash Player to see this content.