post

Star Trek: nível de geekyness no auge

Já faz 2 dias que fui ao cinema ver o filme de J.J. Abrams, Star Trek, o 11º filme dessa mítica série e o meu nível de geekyness ainda está alto! Antes de entrar para a sala pouco sabia do que ia ser a história, apenas que ia contar como é que James T. Kirk, Spock e Dr. McCoy e restantes personagens conheceram-se na Starfleet Academy e tornaram-se tripulantes da Enterprise.

Numa só palavra? WOW. Vi um filme fiel à mitologia da série, mas com uma acção intensa do início ao fim, o que pode agradar a várias pessoas, e não apenas os fãs. Embora algumas personagens me tenham surpreendido, casos da sensualidade descarada da Uhura, o coitadinho do Checov e a falta de mais alguma coisa no Spock, a nota é muito positiva!

Chris Pine está excelente no papel do rebelde James T. Kirk. O Zachary Quinto fez um Spock interessante, embora ache que devia ser um pouco mais Vulcano e menos humano (talvez por ser ainda um rookie na Academia). 

Como disse anteriormente, o filme emociona quem é fã da série, e pode agradar quem nunca viu um episódio ou filme anterior sequer, visto ter um enredo fácil de ser entendido, guião bem construído e acção frenética, daquelas que colam uma pessoa à cadeira e não deixa respirar. É claro, sem perder os elementos da ficção científica que fizeram a fama, as naves fantásticas, os extra-terrestres assustadores (que bicho assustador naquele planeta).

Nota: Se ainda não viu o filme, aconselho a não ler o próximo parágrafo visto conter spoilers.

A minha maior surpresa foi aparecer Leonard Nimoy, o Spock original da série. Está tão velho o homem, mas esteve à altura! Quando ele começa na parte final com as famosas palavras: “Space, the final frontier…”, tenho a certeza que todos os geeks quase desmaiaram. Destaco também a música do fim, em memória à música original da série Star Trek. Fabuloso!

Aqui têm o trailer do filme. Aproveitem a boleia que ainda vão a tempo da sessão da meia-noite :>

Get the Flash Player to see this content.

post

Firefly, um sucesso cancelado?

FireflyNestes últimos meses tenho debatido com um colega da faculdade sobre qual a melhor série de ficção científica. Do meu lado defendia que Babylon 5 e Stargate SG1 foram as melhores enquanto que o meu colega apoiava FireFly.

Eu apresentava argumentos como Babylon 5 (1993) teve 5 anos no ar e que foi uma das primeira séries de ficção científica a utilizar grandes efeitos gráficos em 3D e para além disso, uma história impressionante que terminou com um final para mim, a melhor de sempre em todas as séries. Já o Stargate SG1 (1994) fala por si: 10 anos no ar, histórias excelentes e muitos prémios e só terminou porque o pessoal achou terminar por cima.

Já o meu colega dizia que Firefly (2002) foi eleita pela ISBN como a melhor série de ficção científica de sempre e que ganhou uma data de prémios. Se é a melhor série de sempre porque só teve 14 episódios? Foi cancelada por “incompetência da FOX” disse o meu colega. Como não posso falar sem saber, lá resolvi começar a ver os episódios do Firefly. O meu colega emprestou a caixa da série que comprou, escusava eu assim de arranjar por outros meios. Já vou no 4º episódio e até agora ainda não me convenceu.

Uma nota para o meu colega: enquanto eu vou ver os 14 episódios + filme, sugiro que vejas os 214 episódios do Stargate + filmes para termos argumentos iguais e sabermos do que estamos a falar. De referir que os episódios do Stargate dá para 6,3 dias,  portanto sugiro que comeces já.

Quando acabar de ver isto logo dou a minha opinião geral sobre a série.

*Não referi Star Trek porque tem muitas vezes episódios secantes e Stargate Atlantis porque ainda não tive oportunidade de ver.