post

Indiana Jones e o Reino da Caveira de Cristal

Indiana Jones Capa

Fui ontem à noite ao cinema ver a estreia de Indiana Jones e o Reino da Caveira de Cristal. Passei duas horas bastante agradáveis com amigos ao vermos as loucas aventuras de Harrison Ford no papel de Indy, professor catedrático em part-time e explorador como profissão.

Indiana Jones

Apesar dos seus 65 anos de idade, Harrison Ford mostra que ainda não perdeu o jeito de Indiana Jones e esbanja carisma em todas as suas cenas, além de fazer ele mesmo as suas próprias cenas de acção. Shia LaBeouf confirma-se como astro no papel de Mutt, mostrando principalmente o seu bom humor já comprovado em Transformers, no qual o cabelo, mesmo em situações de grave perigo, não pode estar dessaranjado. Cate Blanchett e John Hurt brilham nos seus respectivos papéis, e Karen Allen que voltou como Marion Ravenwood, a mulher que deu muito trabalho a Indy em “Os Caçadores da Arca Perdida”.

Indiana Jones

O filme alterna momentos tensos e momentos de muito bom humor (principalmente humor físico). Na história, os comunistas são liderados pela bela Irina Spalko (Cate Blanchett, numa atuação deliciosamente exagerada) estão à procura da lendária Caveira de Cristal de Akator, artefacto que pode trazer um misterioso poder àqueles que a possuírem. Indiana Jones sai em busca da caveira acompanhado pelo jovem “greaser” Mutt Williams, seguindo as pistas misteriosas do professor Harold Oxley que enlouqueceu e depois desapareceu. Enquanto os 3 filmes anteriores eram homenagens às séries de aventura dos anos 30, este novo Indiana Jones traz muita influência da sci-fi dos anos 50 (o filme occore em 1957). Não faltam na trama, referências ao famoso caso Roswell (onde teriam sido vistos discos voadores) e à Area 51 (cenário do início do filme), e várias especulações sobre extra-terrestres.

Indiana Jones

Algumas poucas coisas não gostei, aliás quase nada. Alguns efeitos especiais pareciam que podiam ser feitos de uma melhor forma e o melhor momento do filme não é o final, onde andei um bocado à nora. Mas não atrapalhou a diversão e o entusiasmo do início ao fim. Temos os vilões ‘caricatos‘, temos os milhares de tiros que nunca acertam os protagonistas, temos óptimas doses de humor, mistério, elementos sobrenaturais, histórias e fantasias, ou seja, tudo, absolutamente tudo que sempre tivemos nos filmes de Indiana Jones.

Indiana Jones

Ainda que as críticas que vi não sejam muito favoráveis ao filme, muito devido à história em si – o qual foi o motivo de discórdia entre Steven Spielberg, Harrison Ford e George Lucas, não há como negar que É Indiana Jones. Mesmo que o tesouro da vez não seja uma Arca da Aliança (curta aparição no filme) ou as Pedras Sankara ou ainda o Cálice Sagrado ele está de volta, 20 anos mais velho, mas com um espírito e uma vontade fantásticas. Portanto meus amigos deixem as críticas e as dúvidas de lado e corram para o cinema afinal É INDIANA JONES! 😀