post

Powered by Debian

Comecei uma nova aventura no Linux desta vez, pela distro Debian. Já vi as potencialidades que o Ubuntu pode trazer para os que pretendem começar no Linux. Agora é a vez de conhecer a “mãe” da distro e começar a mexer nele.

A instalação correu praticamente sem complicações tendo apenas apresentado problemas na instalação dos componentes de rede. O instalador não conseguia identificar a minha placa de rede nem a minha placa wireless e, após a execução do ambiente gráfico, o problema de sempre em qualquer distribuição Linux que utilize: sem som.

Com as dicas do Bruno Miguel e com a ajuda do excelente suporte dado pela Debian no Canal IRC consegui resolver estes problemas. Ainda tenho uns bugs por resolver aqui ou ali, mas já é de notar algumas diferenças em relação ao Ubuntu, as quais tentarei explicar num artigo próximo.

Mas para já deixo-vos uma amostra do ambiente de trabalho, já um pouco alterado (o wallpaper por padrão do Debian que instalei é feio).

Debian Desktop

post

#1 – Messenger para Linux: Pidgin

Muitas pessoas vêm parar a este blog por um termo de pesquisa interessante: “messenger para Ubuntu”. Ora como a única coisa que falei sobre tais termos foi mesmo o artigo do Ubuntu Live Messenger, um artigo onde explicava como ter o tema do Ubuntu no Windows Live Messenger (WLM), no sistema operativo do Bill.

Ora como provavelmente pensaram que vieram bater à porta errada, vou explicar aqui vários programas (que eu pelo menos conheço e já usei) para poderem escolher o vosso cliente de mensagens instantâneas (Instant Messaging – IM) quanto ao vosso gosto. Hoje falo-vos do Pidgin.

Para o pessoal que não sabe, este é o cliente que vem instalado por defeito para aqueles que utilizam o GNOME como desktop manager. Trata-se de um programa multiplataforma, existindo também para Windows. A sua grande característica é mesmo a possiblidade de ligar várias redes de IM: (MSN, ICQ, Gtalk, IRC, AIM, Yahoo, Jabber/XMPP, Bonjour, Gadu-Gadu, Novell GroupWise Messenger, Zephyr, QQ, Lotus Sametime, SILC, SIMPLE) sendo um programa ideal para aqueles que simplesmente não querem/apreciam determinado cliente e conseguem juntar tudo num só.

Pidgin

Para além disso, conta também com as ferramentas do costume: smilies (embora ainda não seja possível adicionar smilies personalizados), avatares, janelas agrupadas, registo de conversas, alertas de som, estados do contacto, enviar/receber ficheiros e inclui ainda a possibilidade de instalar plugins para melhorarmos o aspecto visual e o desempenho ao nosso gosto.

Só falta mesmo para o Pidgin o suporte a áudio e vídeo. Para o pessoal que gosta de jogar aqueles jogos do WLM, podem esquecer que este não inclui jogos (isto é para conversas, não para andar a jogar). O site oficial conta com muita boa organização de conteúdos, bastante intuitiva e simples ao nível da navegação pelo site.

Plataformas: Windows e GNU/Linux | Site oficial | Download

Próximo artigo: Kopete

post

Cresci com o Webtuga (parte I)

Webtuga: o fórum de todos nós

Estou numa fase muito positiva em que tudo corre bem e sinto-me bem ao mesmo tempo. Já fazia algum tempo que não me sentia assim feliz e espero que esta fase fique por mais algum tempo. Hoje resolvi pensar na minha vida como membro do Webtuga:

Desde que comecei a conhecer mais a Internet por dentro, já que antes de me registar no Webtuga era daquele tipo de user que simplesmente navegava por este mar informático sem ligar muito a fóruns, MSNs ou chats no IRC, aprendi a fazer mais coisas com computadores do que aprenderia sozinho (o meu método era aprender somente quando precisasse de executar determinada tarefa).

Agora, quase 2 anos e meio depois, posso dizer que aprendi muita coisa graças ao Webtuga. Recordo-me de um tópico postado no fórum a perguntar se o Webtuga mudou as nossas vidas. Posso dizer que sim. Mudou muito a minha vida. Para além de ser um fórum onde o pessoal ajuda (ainda que haja alguns utilizadores que simplesmente estão a mais e não têm respeito pelos que se registaram recentemente), é também um fórum com uma rede de blogs. A rede de blogs Webtuga. Estranho. Depois de ter escrito esta parte veio-me à memória o momento em que um tal de cenourinha (o boss de todo o Webtuga) me adicionou no MSN e começou a falar comigo sobre algumas coisas do Webtuga. Pouco depois tornei-me na ligação entre utilizadores do fórum e a equipa Webtuga da altura (cenourinha, radikal-rider, Caneco, KhAoTiK_TaChYoN, lycosman, BigPower, masterhard, nDray e Ghetto_Smurf) e passei a exercer o cargo de moderador oficioso (palavra cara para dizer: tinha os poderes para agir como um moderador normal mas não oficialmente), acompanhando as várias reuniões da equipa Webtuga e participando activamente no fórum e ao mesmo tempo conhecendo pessoas muitos mais sábias que eu e, no qual, tinham o meu maior respeito por eles.

À medida que o tempo foi passando, fui adquirindo cada vez mais conhecimentos de áreas de que nunca ouvira falar, quanto mais perceber. Paralelamente a isto surgiu uma pessoa que até então era completamente desconhecida para mim: o louro. Convidou-me para fazer parte do fórum do serviço de alojamentos webtuga, o webtuga.net com o cargo de moderador. Foi uma experiência muito nova para mim, no qual gostei muito de ter ajudado. Aprendi mais coisas sobre alojamentos web do que teria aprendido nos livros. Lá estava eu, sempre disposto a ajudar e a atribuir contas para o pessoal depois de estes cumprirem com os requisitos mínimos para ter direito às contas webtuga.net. Pouco depois, o louro estava a gostar tanto da minha participação (parto do princípio que estava a fazer um bom trabalho), que me promoveu a administrador do fórum do webtuga.net e passei a “controlar” o pessoal.

A atitude era sempre a mesma, ajudar, ser imparcial nas discussões mais acesas e acima de tudo não ser influenciado por ninguém (pois que entretanto os meus contactos msn aumentaram imenso, passando de uns modestos 25 para quase 200 familiares, amigos ou conhecidos). Sempre me considerei uma pessoa justa e amiga (a meu conhecimento não conheço ninguém no mundo web que me considere uma besta, um egoísta ou então um merdoso qualquer). Acima de tudo, respeito a pessoa que está do outro lado. Não lhe critico e não o considero um ignorante (todos nós somos ignorantes em vários pontos).

Agora não posso escrever mais tempo que vou fazer a minha ida habitual a Alvalade. Continuo mais tarde após o meu regresso.