post

Palavras a reter

Isto pode parecer paleio de vendedor, mas que há textos que parecem que foram tirados de um livro de motivação ou de lição de vida há:

Hoje, aqui, ou em qualquer momento das vossas vidas, acreditem sempre no valor inestimável do trabalho árduo, no estudo, no conhecimento, na consistência do saber que se procura incessantemente. Fundamentem, estruturem – sempre – as vossas decisões no conhecimento, numa avaliação real das perspectivas, procurem, investiguem, pesquisem, raciocinem, com método. Não se confinem ao que vos dão, ao que vos vendem. Duvidem. Questionem. Reflictam.

Só uma vontade consubstanciada no conhecimento, na informação séria e rigorosa, só uma vontade perfeitamente esclarecida é verdadeiramente livre, consciente e responsável. Qualquer um de vós deve ter a informação necessária para poder escolher, ou seja, estar devidamente informado. Hoje, o direito à informação é um dos direitos, liberdades e garantias salvaguardado no enquadramento jurídico nacional.

Só assim, poderão defender – verdadeira e conscientemente – uma causa, uma bandeira. E um dia, daqui a muito tempo, constatarão que os dias mais belos das vossas vidas foram aqueles em que lutaram por aquilo em que – verdadeira e conscientemente – acreditavam.

Isto foi dito por um tal João Pedro Varandas, adepto do Sporting. De referir que não concordo com o resto que ele diz já que está a apoiar um candidato em quem não vou votar. 😉

post

O Adeus do 31

Primeiro foi o Veloso em Junho, depois Moutinho em Julho e agora com a saída do Liedson para o Corinthians, a verdade é que o Sporting perdeu novamente uma das suas peças mais valiosas do plantel e provavelmente muito por culpa da gestão desportiva e principalmente administrativa dos responsáveis da direcção do Sporting.

Liedson - Sporting

Se concordo com a saída ou não do Liedson após 7 anos de verde e branco, a verdade é que ele saiu mesmo. Esperto foi ele ao ver que aqui a maça está a ficar cada vez mais podre. De qualquer forma, sexta-feira quero e vou a Alvalade apenas para ver pela última vez um jogador que quando jogou deu sempre tudo o que tinha e tudo o que o Sporting Clube de Portugal merece de um atleta.

7 anos e meio e vou relembrar sempre a importância que o Liedson teve no meu clube de coração, resta-me respeitar a sua despedida e agradecer-lhe os bons momentos e alegrias que me proporcionou. Não acho que mereça depois destes 7 anos e meio a nossa tristeza ou ingratidão, tem que se aceitar e celebrar a sua passagem feliz pelo clube e que deixou marcas:

  • 313 jogos – 172 golos
  • Taça de Portugal: 2006/07, 2007/08
  • Supertaça de Portugal: 2006/07, 2007/08
  • Finalista da Taça UEFA Época 2004/05
  • Melhor marcador de sempre da história do Sporting nas competições europeias (19 golos)
  • Melhor marcador estrangeiro de sempre na história do Sporting (170 golos)
  • Melhor marcador do campeonato nacional Época 2004/05 (25 golos)
  • Melhor marcador do campeonato nacional Época 2006/07 (15 golos)
post

The lack of impartiality of a Portuguese sport newspaper

If you do not know which club is supported by a sport’s newspaper, the cover page of today’s edition of A Bola is proof enough.

Cover page edition of a Bola

Yesterday, Sporting trashed Rio Ave 5-0. It was the biggest score the “Lions” accomplished this season. One should expect a decent cover to praise this feat. However, A Bola was categorical (as always expected) in talking about Benfica, who only plays this Monday.
Impartiality gentlemen, do you know what that is?

post

Uma palhaçada

Todos os anos tenho a tradição de ir arranjar uma GameBox e ir ver todos os jogos do Sporting em casa. Estou a iniciar o meu 6º ano consecutivo esta época. Sim, ainda sou daqueles que “acredita” que vai ver um bom jogo de futebol.

Depois da (in)esperada derrota frente ao Feyenoord e do empate amargo frente ao Guimarães, o SCP teve o seu primeiro jogo oficial da época frente ao Twente da Holanda, para a 3ª eliminatória da Liga dos Campeões. Resultado final: 0-0

Imagem retirada do site Record

Imagem retirada do site Record

Foi uma autêntica palhaçada aquilo que vi no estádio hoje. João Moutinho, em conferência de imprensa depois dos jogos contra o Feyenoord e o Guimarães disse: “Já não temos margem para erro”. Curioso um jogador dizer isto logo no início da época. Curioso também o facto de ter falhado um penalty neste jogo. Será que foi uma partida cruel do destino? Ou será que foi propositadamente? – Da maneira como ele vai sempre marcar uma grande penalidade parece que sim.

Paulo Bento disse na antevisão à partida de hoje: temos apenas um mês de trabalho, não esperem por um domínio avassalador. Curiosamente, foi uma partida em que o SCP teve o domínio completo do jogo já que a equipa holandesa (não tem atributos técnicos mas é forte fisicamente e são muitos rápidos) ficou reduzida a 10 unidades a partir dos 24′.

Existem dois factores a considerar:

  1. O Benfica e o Porto começaram mais tarde os seus trabalhos para a nova época e mesmo assim, fazem grandes jogos como se a vida deles tivesse a depender disso. O Sporting vai já com um mês de trabalho e nem atinge 1/4 daquilo que os outros 2 grandes estão a jogar.
  2. Uma das grandes vantagens do SCP era o de ter uma equipa que joga já há muito tempo com o mesmo treinador. Assim, mesmo sem poder comprar jogadores como os concorrentes, teria esta vantagem teórica, que é a da permanência dos actores e da peça. No entanto, não se nota este factor. Parece que esqueceram tudo nas férias e até mesmo da experiência adquirida por três anos seguidos na LC.

É a cassete do costume, passada e repisada há quatro anos. PB disse que “faltou clarividência” após o final do jogo. Pois faltou. Quando não se treina é assim. Não há mecanismos, não há rotinas, não há jogadas estudadas. Não há aproveitamento do espaço em largura e em profundidade. Assim, Sr. Paulo Bento, é muito difícil. Eu tinha vergonha de empatar ou perder a jogar contra 10. Para mim é de uma incompetência gritante. Eu no seu lugar punha o lugar à disposição. Para alguém que está à 4 anos à frente de uma equipa, é muito mau, mas mesmo muito mau, o futebol apresentado.

Classificações dos jogadores do SCP (créditos a Greenheart – concordo plenamente com as notas)

  • Patrício – Dono e senhor da baliza verde branca. Teve 2 intervenções de recurso a salvar o nulo na nossa baliza. Por aqui estamos bem servidos. Nota 4;
  • Pedro Silva – Sem comentários…. Nota muito negativa. Tudo lhe saiu mal. Nota 0;
  • Caneira – Parece que se esqueceu como se joga nesta posição. Fraquissimo. Para sair do onze já. Mal a defender e pessimo a atacar. Nota 0;
  • Polga – Muito trabalho. Demorou a entrar em jogo e assustou quando aos 30” perdeu um lance para um adversário ficando este na cara do golo. Recuperou bem, mas ainda não chega ao nível positivo, o seu tempo de antecipação está a milhas de estar bem. Nota 2;
  • Carriço – O elemento mais consistente da defesa. Não teve medo dos gigantes holandeses. E foi o mais regular. Nota 4;
  • Veloso – O melhor do Sporting. Bem na função de trinco onde apenas lhe faltou mais velocidade. Melhor na posição de defesa esquerdo, onde esteve fantástico a atacar. Nota 5;
  • Moutinho – Falta entendimento com o seu parceiro chileno. Não conseguiu fazer tudo o que nos habituou. Ainda por cima falhou um penalty. Nota 2;
  • Vukcevic – Longe do seu melhor. Pareceu desligado da equipa. Não se mostrou suficientemente eficaz. Perdeu quase todos os lances de ataque. Nota 2;
  • Matias – que é bom de bola, não tenho duvidas, que irá fazer a diferença também não. Tem um lance brilhante aos 88′ que culminou com uma bola no ferro. acredito que de que falar. Nota 3;
  • Liedson – Muito marcado. Não conseguiu ter uma unica chance de golo. Nota 2;
  • Postiga – Ganhou um penalty e nada mais. Nota 1.

Jogaram ainda:

  • Pereirinha – No lugar de Caneira aos 56′. Veio trazer vida ao flanco direito mas não chegou. Nota 2;
  • Yannick – No lugar de Vuk aos 67′. Combinou muito bem no flanco esquerdo com o seu compadre Veloso. Esqueceu-se de ser mais incisivo nas idas para a baliza. Nota 2;
  • Rochemback – No lugar de Pedro Silva aos 76′. Entrou tarde. Oredenou melhor a equipa e tentou que esta não perdesse a cabeça. Continua é muito pesado e sem velocidade. Nota 2.

Pedro Silva atira a medalha ao chão

Em relação à expulsão, compreendo a frustação de um jogador quando sente que foi completamente injustiçado face à VERGONHA que se viu durante o jogo. Apesar de não ter cometido penalty, não pode reagir daquela maneira perante o árbitro, obviamente que será punido severamente (será mesmo?).

Em relação ao deitar a medalha fora, todos os jogadores do Sporting deviam ter imitado o Pedro Silva. Aquelas medalhas demonstram a podridão que vive no futebol português. É triste ver uma palhaçada destas.