post

Como arrancar o Firefox mais rapidamente

Nos últimos meses passei a ser mais utilizador do Google Chrome do que o must-have Mozilla Firefox. Embora esteja ao corrente dos problemas deste browser, considero-o ainda assim mais rápido e eficiente (e mais leve de RAM) que os restantes browsers mais utilizados.

O mês passado instalei o novo Firefox, e apesar do grande anúncio da Mozilla a dizer que o Firefox 3.5 era o mais rápido de todos os browsers, qual o meu espanto quando só por abrir, perdia cerca de 10 a 15 segundos da minha vida à espera que abrisse. Ainda para mais, ainda noto o excessivo consumo de memória (neste momento estou com 4 abas abertas e está já a consumir-me 140 MB). Com o Google Chrome, e com os mesmos sites abertos e ainda mais tabs, ainda nem cheguei a metade.

Estava para desistir do Firefox quando após um tweet meu sobre o assunto, o @trmanco indicou-me um link para resolver o problema do longo tempo de espera para abrir este browser. A partir do Firefox 3, tanto os favoritos como o histórico e mais algumas coisas, passaram a ser guardados em bases de dados SQLite. Como qualquer outra base de dados, com o tempo têm tendência a ficar fragmentados ficando com espaços livres em tudo o que era sítio. O que isto causa? Problemas de performance no arranque do browser.

A melhor solução para isto é optimizar estas bases de dados. Isso poderá ser feito através do sqlite3, um script que é executado pela linha de comandos (disponível para Linux, Windows e Mac OS X).

Basta fazer download dos binários para a pasta Profiles do Mozilla.

Fecham o Firefox e pela linha de comandos acedem à dita pasta (exemplo em Windows):

cd C:/Documents and Settings/Application Data/Mozilla/Firefox/Profiles/randomname

Depois, basta executar o seguinte comando:

for %a in (*.sqlite) do (sqlite3 %a vacuum)

Abram o browser e vejam por vocês mesmos que o Firefox passou a estar ao nível do Chrome no que toca ao arranque 😀

post

snd-hda-intel: problema resolvido no alsa

AlsaReferi, aquando da instalação do OpenSuse, que o único problema que tivera foi o facto de eu não ter som no portátil. O OpenSuse detectou bem qual era a minha placa de som (snd-hda-intel) mas simplesmente não se ouvia nada. Apenas conseguia ouvir pelos meus phones (mas aí a placa de som era da RealTek e funcionava perfeitamente).

Dadas as minhas limitações ainda em linux, não sabia como resolver o problema. Resolvi consultar o google (lição número 1: procura sempre no google antes de ir pedir ajuda a alguém – é um facto!). Encontrei uma página de ajuda na wiki do OpenSuse, Audio Troubleshooting, no qual fiquei encalhado no passo 5 (não conseguia identificar o codec que tinha sido instalado com o alsa). Aí não tive hipóteses mesmo e resolvi então ir pedir assistência ao canal IRC do OpenSuse, o #suse.

Daí, encontrei duas pessoas, nicks: oldcpu e Loki2010, que me ajudaram a resolver o problema. Através de um pequeno script que corri, aquando da leitura do guia que já referi anteriormente:

The first script is the one created by user wishie from IRC #alsa. To download (copy and paste this into a konsole/xterm) and run:

wget http://bulletproof.servebeer.com/alsa/scripts/alsa-info.sh

then run the script alsa-info.sh (copy and paste this into a konsole/xterm):

bash alsa-info.sh

consegui lhes mostrar configuração do alsa (http://pastebin.ca/919536). A resposta deles foi directa: “Nem alsa, nem alsa-conf, nem mesmo o yast conseguiram automaticamente identificar a especificação correcta do meu portátil, em relação ao som. Por isso, não aplicaram essa opção.”

Para confirmar isso disseram-me para executar o seguinte comando:

cat /etc/modprobe.d/sound

* O comando “cat” possibilita a leitura de qualquer ficheiro que contenha texto, entre outras utilidades como por exemplo, concatenar ficheiros. (Faço isto assim que aprendo também :-D)

Eis o output do Xterm que me deu:

alias snd-card-0 snd-hda-intel
alias sound-slot-0 snd-hda-intel

Estavam confirmadas as suspeitas deles. Olharam mais uma vez para a minha configuração do Alsa para determinar qual era a marca do meu portátil (podiam ter perguntado que eu tinha respondido…). A marca é LG. Vem daí disseram que tinha que editar o ficheiro “sound” e colocar antes destas linhas, a seguinte linha:

options snd-hda-intel enable=1 index=0 model=lg

Foi o que fiz, escrevi gnomesu gedit /etc/modprobe.d/sound. Abriu o editor de texto (com permissão de root) e adicionei a linha acima. Salvei e fechei o ficheiro. Pediram-me para confirmar se estava mesmo lá a linha. Voltei a correr o comando “cat”, eis o output:

options snd-hda-intel enable=1 index=0 model=lg
alias snd-card-0 snd-hda-intel
alias sound-slot-0 snd-hda-intel

Lá estava ele. Depois disseram-me para reiniciar o Alsa:

rcalsa sound restart (ouvi uma espécie de beep)

E depois para testar se estava a funcionar, entrei como root e executei:

speaker-test -c2 -Ddefault -twav

E não é que funcionava mesmo? DIsseram-me também que tenho no OpenSuse um ficheiro Alsa-Configuration.txt, no qual me ajudava a resolver o problema (logicamente se fosse mais especialista em linux era mais que provável ter resolvido o problema sozinho). Ainda assim, foi porreiro resolver isto. A assistência no canal foi 5 estrelas. 😀

post

Tutorial: Título de janela demasiado grandes

Procedi a uma nova instalação do Ubuntu 7.10 e encontrei novamente alguns problemas que tive inicialmente com o Gutsy Gibbon.

Uma delas era o facto de no ecrã de login e no GNOME, ficar com a fonte dos títulos demasiado grandes. Um exemplo:

Janela Enorme

Andei no google a pesquisar várias maneiras de como resolver o problema. Uma delas era alterar no System > Preferences > Appearance o Window Title Bar para 1 em vez de 10 (se bem que isso pouco ajudava na janela do login). Outra opção, visto tratar-se obviamente do aspecto gráfico do nosso monitor, a placa gráfica poderia ser a responsável, logo tentava-se alterar para uma resolução maior o nosso desktop. Eu prefiro alterar a resolução através do comando: sudo dpkg-reconfigure-phich xserver-xorg

Mas aí pouco mudava no meu caso, já que ficava com o mesmo problema. Depois encontrei uma solução que me funcionou:

Escrevam na consola: sudo gedit /etc/gdm/gdm.conf

Procurem pelo seguinte secção:

[server-Standard]

name=Standard-server

command = /usr/bin/X -br -audit 0

Alterem a última linha para: command = /usr/bin/X -br -audit 0 -dpi 96

Depois é só reiniciar (não apenas reiniciar o X).

Funcionou comigo. Fiquei com tudo como deveria estar: login, desktop e título das janelas normais. 🙂

post

Ubuntu Live Messenger

Na sequência do meu artigo anterior sobre como ter o Windows XP com o tema do Ubuntu, falta um pequeno pormenor: o Windows Live Messenger que fica depois muito mal com o resto do tema.

Para isso, podem usar o Ubuntu Live Messenger, um tema para para as versões do Windows Live Messenger acima da 8.5 especialmente desenvolvido e inspirado no visual do Ubuntu.

Ubuntu Live Messenger

Podem fazer o download aqui. A instalação é relativamente simples: basta copiar o ficheiro msgsres.dll para a directoria onde está instalado o WLM (normalmente C:\Programas\Windows Live\Messenger).

Não se esqueça de fazer o backup do respectivo ficheiro no qual se vai copiar por cima, caso queira voltar ao tema original.

post

Windows XP como Ubuntu

No meu portátil tenho dual boot: Ubuntu e windows XP. O Ubuntu uso em casa enquanto que o Windows XP uso quando estou na faculdade (ainda não percebi como aceder à rede sem fios da minha faculdade através do Ubuntu) e também para jogar Halo e Counter-Strike quando me apetece.

No entanto, gosto bastante do visual do gnome que vem com o Ubuntu e resolvi pesquisar na net para ver se era possível ter o visual do Ubuntu no meu XP. Acabei por encontrar o que esperava (o google é o maior).

Ubuntu Style no XP

Passo 1: Tema

Para começar vamos mudar o tema do Windows XP. Para isso é preciso trocar o ficheiro “uxtheme.dll” original pela nova. Faça um backup do dito ficheiro para evitar um possível conflito caso isto não funcione.

Para aplicar o tema que queremos aplicar é preciso o Uxtheme Multi Patcher. Depois de fazer o download e extrair os temas, vá para a pasta …\Windows\Recursos\Temas. Crie uma pasta para cada tema (por ex: Nome do tema: IllumeCG.msstyles terá como nome da pasta IllumeCG). Após isto, no ambiente de trabalho clique no lado direito do rato > Propriedades > Aspecto e procure pelo tema que fez download.

Passo 2: Visual Style

De seguida vamos alterar o estilo visual do Windows. Vamos usar um tema feito por FioreSSj, o Human For Windows (download aqui). Extraia para onde preferir (C:\Windows\Recursos\Temas é o padrão) e dê dois cliques no arquivo Human.msstyles. Ficará com alguma coisa parecida com isto:

Depois de aplicar o Human style

Outros temas porreiros: