post

Porreiro pa!

Hoje foi um marco na vida política nacional. Quando forem “abertas” as verdadeiras contas do Estado, sem as mentiras de T. dos Santos (com o TGV, parcerias público privadas, BPN, etc.), vamos ver como Sócrates ARRASOU o Estado.

Podem até achar que as alternativas não são lá muito boas, mas qualquer um que tenha um mínimo de inteligencia, não pode defender um Governo que FALIU o PAÍS e comprometeu os próximos 20 ANOS!

E como estou hoje numa de citar Eça de Queiroz:

“… É assim que há muito tempo em Portugal são regidos os destinos políticos. Política de acaso, política de compadrio, política de expediente. País governado ao acaso, governado por vaidades e por interesses, por especulação e por corrupção, por privilégio e influência de camarilha, será possível conservar a sua independência?” (Eça de Queiroz, 1867 in “O distrito de Évora”)

A única crítica é a gargalhada! Nós bem o sabemos: a gargalhada nem é um raciocínio, nem um sentimento; não cria nada, destrói tudo, não responde por coisa alguma. E no entanto é o único comentário do mundo político em Portugal. Um Governo decreta? gargalhada. Reprime? gargalhada. Cai? gargalhada. E sempre esta política, liberal ou opressiva, terá em redor dela, sobre ela, envolvendo-a como a palpitação de asas de uma ave monstruosa, sempre, perpetuamente, vibrante, e cruel – a gargalhada! Política querida, sê o que quiseres, toma todas as atitudes, pensa, ensina, discute, oprime – nós riremos. A tua atmosfera é de chalaça.” (Eça de Queiroz, 1890, in ‘Uma Campanha Alegre’)

Pedro Silva atira a medalha ao chão

Em relação à expulsão, compreendo a frustação de um jogador quando sente que foi completamente injustiçado face à VERGONHA que se viu durante o jogo. Apesar de não ter cometido penalty, não pode reagir daquela maneira perante o árbitro, obviamente que será punido severamente (será mesmo?).

Em relação ao deitar a medalha fora, todos os jogadores do Sporting deviam ter imitado o Pedro Silva. Aquelas medalhas demonstram a podridão que vive no futebol português. É triste ver uma palhaçada destas.

post

A arbitragem portuguesa está podre…

Antes demais parabéns ao Benfica por ter ganho a Taça da Cerveja desta época nas grandes penalidades. Quando chega essa altura ingrata do jogo, é mais feliz quem for mais sortudo. Ao Sporting dou os parabéns por ter chegado à final pela 2ª vez consecutiva e ter tido o azar novamente por ter encontrado um super guarda-redes.

Só uns pequenos reparos. Os últimos títulos do Benfica:

  • Taça de Portugal 2003/2004

Lucílio Baptista, expulsa erradamente Jorge Costa e não marca penalty contra o Benfica.

  • Campeonato 2004/2005

Penalties uns atrás dos outros a favor do Benfica, golos irregulares, tranferências de jogos para o Algarve, dois últimos jogos polémicos: Paulo Paraty valida golo irregular de Luisão contra o Sporting, último jogo contra o Boavista, Pedro Henriques marca penalty inexistente a favor do Benfica que dá titulo ao Benfica.

  • Supertaça 2005/2006

Nada a assinalar no jogo contra o V. Setúbal.

  • Taça da Liga 2008/2009

Lucílio Baptista inventa penalty contra o Sporting, permitindo ao Benfica igualar jogo e ganhar nos penalties.

Do que há a destacar esta final da Taça da Liga? Apenas que Portugal vai andar feliz por uns dias esquecendo-se de socratismos, desempregos, problemas financeiros e afins. Não critico a vitória do Benfica. Critico sim, a maneira como obteve essa vitória. Através de um penalty INEXISTENTE onde o próprio fiscal de linha disse que não era e mesmo assim, o senhor Lucílio assinalou.

O jogo foi mal jogado de ambas as partes mas notava-se a garra dos jogadores permitindo ter uma partida mais emotiva. Infelizmente houve foi garra a mais do Derlei (como raio é que ele não levou pelo menos um amarelo?). Se o árbitro tivesse expulso o ninja, o Benfica provavelmente teria ganho justamente. Porém isso não foi assim, a figura da partida foi o quase-reformado Lucílio Baptista, sem sombra de dúvida, a figura do jogo! Desde à dualidade de critérios tanto em faltas, como na mostragem de cartões amarelos, desde a fingir que não viu certos e determinados lances, desde à marcação do penalty inexistente… acho que merece um “7,5” do responsável que o estaria a avaliar. Foi uma vergonha o que se passou! É que se tivesse sido ao contrário, o “setubalense” nunca teria assinalado penalty.

Eu só peço é ao senhor Vitor Pereira, que pelos vistos era o observador nomeado para a partida, para informar o senhor Lucílio de que é melhor pedir a reforma antecipada de árbitro e não apitar a sua última época como árbitro “profissional”. Assim não dá. Se tinham dúvidas da introdução de novas tecnologias, este é um excelente exemplo da vergonha que é a arbitragem portuguesa.

post

A paciência tem limites e a minha acabou hoje

Acabou-se! A paciência tem limites e a minha atingiu hoje o pico! Não nos peçam a nós, verdadeiros Sportinguistas de alma e coração, ao contrário dos que tiveram em campo, que perdoemos estes senhores que sucessivamente tão mal trataram e arruinaram o nosso bom nome. O Sporting não pode tolerar estas tamanhas faltas de profissionalismo, e hoje meus amigos, hoje estes jogadores não foram mesmo nada profissionais, porque ser profissional não é correr, ser profissional é lutar até ao último segundo pelo emblema que representam, e isso não o fizeram de todo…

Vergonha na cara

Desde que sou sportinguista, esta é a primeira vez que me lembre, que tenho tanta vergonha dos jogadores que representam o nosso clube. Ver figuras tristes a serem totalmente humilhados pelo Bayern Munique manchando completamente uma época na Liga dos Campeões onde o Seteporting passou pela primeira vez para os oitavos de final da prova.

Podia estar aqui a alongar-me em críticas ao Paulo Bento, jogadores e direccção porque ainda estou com a cabeça quente e posso vir a arrepender-me de alguma coisa que escrevi mais tarde, mas não queria deixar de partilhar o que sinto. Sinto-me profundamente humilhado, envergonhado e traído por estes imitadores de jogadores profissionais que enxovalharam, sujaram e denegriram o bom nome do Sporting. Tenho vergonha de vocês: não pedia muito, não pedia milagres, apenas pedia profissionalismo, brio e empenhamento!

post

Alvos a abater

Como sportinguista que sou e sempre que posso, marco presença no Estádio José Alvalade. Ontem não foi excepção e tive o prazer de ver o Leixões a ganhar a uma equipa que não merece o título de “Grande”. Na noite em que os responsáveis do Sporting tentaram encher o estádio recorrendo aos núcleos leoninos de todo o país viram em vão uma esperada derrota. E, tal como sempre acontece em casa ao longo dos anos, as desilusões acontecem sempre na casa do Leão. Assim de repente recordo-me de Gençlerbirligi, Halmstads, Spartak de Moscovo, Glasgow Rangers e esses colossos do futebol português: Académica, Paços de Ferreira, Estrela de Amadora, V. Setúbal e ontem o Leixões.

Já está visto que Paulo Bento está esgotado e já não consegue produzir mais omeletes sem ovos. A culpa está na teimosia do treinador que insiste em utilizar determinadas personagens da equipa B para ganhar um jogo de futebol. São os casos de Rui Patrício, Pedro SIlva e Romanogli. Vê-se que não são jogadores que devem estar na equipa titular, o facto de estarem poucas vezes “inspirados” (muitas vezes aliás), prejudica o futebol do Sporting e vê-se isso em campo (e também nas bancadas). E nem se quer estou a falar das estranhas opções tácticas do Paulo Bento, estas são cada vez piores. Com a agravante de ainda ter levado mais um banho táctico de um treinador que nem a 4ª classe deve ter.

Alvos a abater

Pensei (supostamente) que depois daquela boa exibição frente ao Porto as coisas iriam mudar e que a equipa seria mais constante e as pazes com os adeptos fossem definitivamente feitas. Nada mais errado, a equipa voltou ao normal que infelizmente é: pontapé para a frente e que se desenrasque o Liedson.

Estamos em 6º lugar, com a possibilidade de acabar em 8º após a jornada ficar completa. Não venham agora falar em “omeletes sem ovos” porque à nossa frente estão equipas como o Leixões, o Nacional ou o Marítimo, podendo até o Estrela nos ultrapassar apesar da crise tremenda. Para o Paulo Bento nem tenho palavras, já devia ter saído há muito mas enfim alguém passou a mensagem de que manter o treinador ganhávamos o campeonato. Após 3 anos e tal continuem a dar-lhe palmadinhas que os outros agradecem.

A mim não me enganam mais, rua com o Paulo Bento, estou mais chateado porque acreditei e depois levei um “soco” no estômago, assim dói muito mais. No meio desta crise toda, quem está-se a rir são o Vujcevic e o Stojkovic (elementos que considero fundamentais na equipa). Enfim, lá vai mais um campeonato miserável decorrer. Depois admirem-se de não haver adeptos nas bancadas, o futebol é tão pobre que é por isso que ficamos todos em casa. Já agora, deixo uma sugestão para os responsáveis do Sporting: contratem o José Mota, ele consegue ganhar ao Benfica e ao Porto e pelo menos assim já não perdíamos contra ele.